SE REPORTAR OU FAZER PIADA DA FALHA, EIS A QUESTÃO!

  • Home
  • Cultura
  • SE REPORTAR OU FAZER PIADA DA FALHA, EIS A QUESTÃO!

Em tempos de crise – estamos em crise mesmo pessoal – é de extrema importância focar no marketing de impacto. Mas não é naquele marketingzinho de esquina, aquele feito sem nenhum planejamento, estudo, aqueles feitos no achismo, por profissionais que acham que apenas o entendimento de ferramenta, uma noçãozinha de redação publicitária já basta. É necessário contratar profissionais especializados para fazer um trabalho bem feito.

Um caso que mais chamou a atenção de como não se fazer foi a da tal da Bettina, da Empiricus. Eu sei que você não aguenta mais ouvir falar o nome dela, e acredite, eu também não. Só de ouvir o nome dela, já lembramos da voz chata e os 5 segundo mais odiados da história, certo? Ela deve ter colocado todos os milhões investidos nos anúncios do Youtube, por que não tinha um vídeo sequer que não tinha um anúncio da garota que, em três anos, conseguiu acumular 1 milhão e 42 reais. Era um desses a cada vídeo, desde sobre como fazer edições no Première, receitas caprichadas até músicas de K-pop. Detalhe, a propaganda aparecia tanto no privado, na conta do serviço, quanto no meu pessoal. Zero segmentação.

Acontece que isso pôde virou um case de como não fazer uma campanha no youtube, ou em qualquer outra plataforma, seja no digital, urbano ou off-line. O ódio foi geral. A campanha foi tão negativa, que até a polícia foi envolvida. * insira o meme do a que ponto chegamos aqui *

Isso nos mostra que, se eles tivessem pesquisado, consultado, analisado, principalmente todo o histórico da nossa querida Bettina, não teriam feito esse vídeo. Pelo que pesquisei, foi a própria moça que fez o texto. É isso mesmo!!! Não sei se a campanha foi feita internamente também, pela equipe de marketing deles, o que acredito que foi, mas não vem ao caso agora.

O que precisamos analisar é que, mesmo com todo o surto, a campanha continuou rodando e, não satisfeitos, fizeram um outro vídeo, ironizando as brincadeiras e questionamentos do pessoal. Ninguém em sã consciência acreditou nela. A partir do momento que você quebra a confiança do seu cliente e possíveis clientes, você não deve ironizar eles, mas sim, PROVAR que aquilo é real. Botar na mesa os dados, colocar a cara a tapa. E meus queridos, não foi isso que aconteceu.

E é por isso que, em tempos de crise, se você quebra a confiança do seu cliente, você pode perder tudo o que você tem. Não importa se você é uma empresa multinacional e milionária. O pessoal vai sim, fazer meme de você e não vai esquecer. Como dizem, o Brasileiro não perdoa, e confesso que nem eu. Faça um bom marketing de impacto, mas um impacto que seja bem recebido. Pense nas consequências que sua campanha poderá ter, ANTES. E tudo bem se não for bem recebida. Errar é humano, mas não faça disso uma piada para o seu consumidor.

[MEUS DESABAFOS 01]

Vou tentar fazer uma série de textos envolvendo a área de marketing, publicidade e design toda sexta-feira, às 10h, sempre com um pouco de bom humor e leves (muitos) surtos, mas sempre pensando no bem dessa área querida, tem tanto. Com cases de sucesso ou não ou inspirações e ideias loucas. Até a próxima sexta!

Lari Azevedo

Larissa Azevedo, ou apenas Lari, nasceu em 1988, na cidade de São Paulo, onde ainda reside. Desde pequena é apaixonada por arte, cores e literatura. Formada em Design Digital, é diretora de arte em uma agência de Comunicação. Além disso, é colaboradora do blog Burn Book e, como fuga, lê todos os livros que pode, escreve e brinca no Photoshop nas horas livres.

Leave a Comment